MUPA apresenta a exposição "Educação pela Pedra", em parceria inédita com a Fundação Joaquim Nabuco
18/11/2020 - 15:16

Em uma primeira ação da inédita parceria com a Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ), com sede em Recife (PE), uma das mais importantes instituições culturais brasileiras, o Museu Paranaense (MUPA) apresenta ao público a exposição Educação pela Pedra. Com curadoria de Moacir dos Anjos, a mostra tem como eixo temático o centenário de nascimento do escritor e poeta recifense João Cabral de Melo Neto e reúne trabalhos que, juntos, investigam os afetos canalizados pelos versos do poema que dá nome à exposição, escrito por João Cabral em 1966. 

Participam da mostra os artistas Oriana Duarte, Marcelo Moscheta, Jonathas de Andrade, Jimmie Durham, Cinthia Marcelle, Traplev, Agrippina Manhattan, Louise Botkay e Randolpho Lamonier. A nova montagem da exposição no MUPA contou com uma ampliação: fará parte da exposição a música If You Hold a Stone (MARINHEIRO SO), de Caetano Veloso, lançada em 1971 em homenagem a Lygia Clark e sua série de proposições que tinham em pedras um componente ativador central, incluindo a obra Pedra e ar. 

Considerando o contexto pandêmico, o MUPA fará, a partir de 30 de novembro, diversas ativações virtuais da exposição por meio  de suas redes sociais e site, até que seja possível abrir as visitações no espaço físico do museu, com a adoção de medidas de segurança para o público e corpo técnico. 

Gabriela Bettega, Diretora do Museu Paranaense, e Mario Helio Gomes de Lima,  Diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte da Fundação Joaquim Nabuco, ressaltam que  a iniciativa, embora pareça, e seja, uma das ousadas e raras oportunidades de conexão Norte-Sul no Brasil (que embora seja continente, por vezes prefere pensar-se como ilha), traz algo mais. “A oportunidade de uma parceria mais ampla. Que começa já pela prática, mostrando que quando há vontade efetiva de realização, as políticas públicas de cultura funcionam”, afirma a Diretora do MUPA. 

 

Sobre a curadoria 

Moacir dos Anjos é um expoente no cenário artístico nacional. Pesquisador e curador da Fundação Joaquim Nabuco, foi diretor do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (2001-2006), Recife, e curador do Pavilhão Brasileiro da 54ª Bienal de Veneza (2011) e da 29ª Bienal de São Paulo (2010). Foi curador das mostras "Cães sem plumas" (2014, MAMAM), "A queda do céu" (2015, Paço das Artes), "Emergência" (2017, Galpão Bela Maré), "Quem não luta tá morto", "Arte democracia utopia" (2018, Museu de Arte do Rio), "Bandeiras da Revolução" (2017) e "Raça, classe e distribuição de corpos" (2018), as duas últimas na Fundação Joaquim Nabuco. Publica regularmente em revistas acadêmicas e catálogos de exposição. É autor dos livros Local/global. Arte em trânsito (2005), ArteBra crítica (2010) e Contraditório. Arte, globalização e pertencimento (2017).


 

Atividades promovidas ao longo da mostra

Uma as atividades relacionadas à mostra Educação pela Pedra é a Oficina O Brasil sob a ótica da educação democrática de Anísio Teixeira e a alfabetização crítica de Paulo Freire, com o artista Traplev. A oficina online acontecerá nos dias 30 de novembro, 1 e 2 de dezembro, às 18h. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através das redes sociais e do site do MUPA. A atividade será inteiramente online.

A oficina propõe traçar uma linha da história do Brasil a partir dos projetos para a uma educação democrática implantados por Anísio Teixeira e Paulo Freire. Ela é um desdobramento do trabalho de Traplev apresentado na exposição Educação pela Pedra.

Em 2021 está previsto um Ciclo de Palestras com temáticas relacionadas à mostra como Educação, Arte e Cultura. 

 

Conexão Nordeste-Sul na parceria inédita entre FUNDAJ e MUPA

Além da mostra Educação pela Pedra, a parceria entre o Museu Paranaense e a Fundação Joaquim Nabuco, que tem sede na cidade de Recife (PE), contará com outras ações e atividades realizadas em conjunto como exposições, publicações, eventos e capacitações. As ações serão realizadas no período de 2020 a 2022.  

A FUNDAJ foi criada pelo Congresso Nacional em 1949, como uma homenagem ao centenário de Joaquim Nabuco. Desde então, é uma instituição voltada para o estudo sociológico das condições de vida do trabalhador brasileiro da região agrária do Nordeste, buscando reflexões humanísticas e melhorias sociais, através de ações e serviços educativos-culturais. 

O Museu Paranaense, fundado na cidade de Curitiba em 1876, é o museu mais antigo do Paraná e o terceiro mais antigo do Brasil. Com um acervo atual de aproximadamente 400 mil itens, as peças são mostradas ao público em exposições abertas e gratuitas, divididas em salas de mostras temporárias e de longa duração. Devido ao rico acervo histórico, o MUPA tem uma forte atuação de pesquisa em áreas como a Antropologia, História, Arqueologia, mas também propõe conexões interdisciplinares entre estes campos, combinadas com uma visão expandida para a Arte Contemporânea - uma maneira de vincular conhecimentos, linguagens e leituras de mundo através de expressões artísticas.   



 

SERVIÇO -

Exposição "Educação pela Pedra"

Quando: a partir de novembro de 2020 

Onde conferir: nas redes sociais e site do Museu Paranaense

 

Instagram: @museuparanense 

Facebook: /Museu Paranaense

 

 

Últimas Notícias