Departamento de Antropologia

foto-antrop-1
foto-antrop-2
foto-antrop-1

 

IMAGINÁRIO ANTROPOLÓGICO

Os acervos etnográficos começam a ser constituídos e dar tom ao Museu Paranaense num contexto controverso: destinavam-se aos seus cuidados os “objetos da primitiva arte indígena” coletados durante o período de medição de terras do Paraná para a inserção dos migrantes e imigrantes. 

A gênese da “Seção Ethnographica” é, portanto, a de um centro de preservação de objetos cujos povos produtores estariam sendo esbulhados. Mas a sua origem não condena sua trajetória. Os agentes do Museu Paranaense agiram em defesa dos povos indígenas: politicamente, com denúncias públicas contra as agressões perpetradas; cientificamente, com estudos etnográficos pioneiros; e socialmente, adquirindo coleções diretamente dos artesãos indígenas.   

Sob os cuidados do Departamento de Antropologia, importantes coleções oriundas dos povos indígenas da América Latina: Guarani, Xetá, Kaingang, Xokleng, Karajá, Kayapó, etnias do Rio Negro, povos xiguanos. Adornos corporais, artefatos de caça, instrumentos musicais, utensílios da alimentação, arcos, flechas, cestaria, máscaras rituais etc. 

Todo museu antropológico tem uma coleção original, única. No Paranaense, a do tcheco naturalizado brasileiro Vladimir Kozák se destaca. Culturas indígenas, caiçaras e expressões populares como a Congada da Lapa foram por ele registradas em filmes, fotografias, slides, pinturas, anotações de campo e em desenhos, conferindo ao MUPA interesse internacional de pesquisadores.

Palestras, cursos de línguas indígenas, oficinas de expressões caiçaras e performances artísticas perfazem algumas das atividades culturais promovidas no estreito contato de nossa equipe com as populações tradicionais. Uma dinâmica contemporânea do Departamento de Antropologia alinhada à vocação do MUPA enquanto articulador de experiências interculturais.

 

Coordenadora responsável:

Josiéli Andréa Spenassatto

josieliandrea@secc.pr.gov.br 

(41) 3304-3335