Setor de Antropologia


pesquisas pioneiras    Desde o início de suas atividades no século XIX, o Museu Paranaense teve como objetivo formar, organizar e expor um acervo que expressasse as características do território e da população paranaense. Desta forma o interesse pelas populações indígenas, os primeiros habitantes do território, refletiu-se no acervo e nas primeiras exposições da Instituição, o que se pode constatar no guia do Museu Paranaense publicado em 1900.
    Ainda no século XIX, o Museu Paranaense exibiu suas coleções etnográficas na Exposição Antropológica Brasileira, realizada em 1882 no Museu Nacional. Acompanharam os objetos indígenas um catálogo explicativo e a publicação dos trabalhos linguísticos e etnográficos de Telêmaco Borba e Frei Luiz de Cemitille, sobre os índios Guarani e Kaingang do Paraná.
ïndios e Kozák    Em mais de um século de existência o Museu Paranaense ampliou suas coleções antropológicas com material proveniente de pesquisas sobre grupos indígenas, comunidades afro-descendentes e populações caiçaras. Grande parte dessas pesquisas pioneiras foram realizadas entre as décadas de 40 e 50 do século XX, pelo médico e antropólogo José Loureiro Fernandes em parceria com a então Faculdade de Filosofia Ciências e Letras do Paraná, que hoje integra a UFPR.
 Atualmente as linhas de pesquisa do Departamento de Antropologia do Museu Paranaense compreendem estudos sobre a História da Antropologia, Etnologia Indígena, Cultura Popular e Afro-brasileira. A importância da instituição para a História da Antropologia no Paraná, bem como no Brasil, tem sido tema de exposições, seminários de pesquisas e publicação de artigos científicos.
    No que se refere a Etnologia Indígena especial atenção tem sido dada ao estudo do acervo imagético da coleção Vladimir Kozák, o qual registrou em filmes, fotografias e desenhos, diversos grupos indígenas brasileiros entre as décadas de 1940 e 1950. Parte deste material está disponível no CD-ROOM "Quem são os Xetá ?", que reúne imagens deste grupo indígena cujo contato foi realizado no noroeste do Paraná na década de 1950.
   Além do interesse pelos índios, Vladimir Kozák também foi responsável pelo registro da apresentação da Congada da Lapa de 1951. Acompanhando as pesquisas do antropólogo Loureiro Fernandes, Kozák filmou e fotografou esta manifestação da Cultura Afro-brasileira no Paraná.
    Na área da Cultura Popular destaca-se o acervo sobre o fandango do Paraná, doado pelo folclorista Inami Custódio Pinto e pelo fotógrafo Carlos Roberto Zanello de Aguiar (Macaxeira). Os instrumentos musicais do fandango, associados ao registro fotográfico desta manifestação integram uma exposição de curta duração, que tem sido levada para os diversos municípios paranaenses.
    Uma parte do acervo antropológico do Museu Paranaense está disponível à visitação no circuito de exposições. Nele estão expostos objetos relacionados aos grupos indígenas que habitavam o Estado do Paraná no final do século XIX: Guarani, Xetá, Kaingang e Xokléng. Pode-se observar artefatos de caça, instrumentos musicais e utensílios relacionados ao armazenamento e preparo dos alimentos. Destacam-se ainda os adornos corporais confeccionados com diversos materiais, tais como fibras trançadas, sementes, plumária e os adornos labiais confeccionados em madeira, osso e resina denominados tembetás.
ïndios do Brasil    Em uma sala especial está dedicada a diversidade dos grupos indígenas brasileiros representados por objetos da cultura material procedentes de diversas regiões do país, tais como: arcos, flechas, cestaria, adornos plumários, máscaras rituais, entre outros. Também compõe a exposição fotografias, aquarelas e desenhos dos grupos indígenas Karajá, Urubú-Kaapór, Kayapó, Gavião, Kamayurá e Xetá, registrados por Vladimir Kozák, entre as décadas de 40 e 50 do século XX.
    As exposições em constante revitalização refletem o trabalho contínuo do Departamento de Antropologia do Museu Paranaense, dedicado a pesquisa e ao gerenciamento deste acervo o qual compreende a realização dos seguintes procedimentos técnicos: arrolamento, numeração, inventário, classificação, catalogação, inserção em banco de dados digital e acondicionamento em reserva técnica, além da limpeza e conservação dos objetos. O resultado destes estudos subsidiam a produção de artigos didáticos e científicos, a montagem de exposições e o atendimento a pesquisadores e alunos.

Msc. Fernanda Maranhão
Departamento de Antropologia


Teses, dissertações e monografias

Monografia de Maria Fernanda Campelo Maranhão. Pós-graduação  "lato sensu" em Geografia e História do Paraná.


Contextualizando Imagens Paranistas (1940-1950): O Filme Etnográfico de Vladimir Kozák e as Ciências Sociais no Paraná



Artigos e publicações



Vladimir Kozák e a Congada da Lapa
Obra cinematográfica de Vladimir Kozák
Povos indígenas no Paraná
Funeral Bororo
Recomendar esta página via e-mail: