Notícias

19/04/2018

Conheça os Povos Indígenas do Paraná

Indígenas Fulni-ô, de PernambucoDesde sua inauguração, em 25 de setembro de 1876, o Museu Paranaense dedica especial atenção aos povos indígenas, os primeiros habitantes do Paraná, e que possuem até hoje espaço especial dentro do acervo antropológico do museu. Neste Dia do Índio, celebrado em 19 de abril, vale lembrar os indígenas que fizeram e fazem parte da história do Estado.

Atualmente há três etnias indígenas no Paraná: Guarani, Kaingang e Xetá. Eles moram nas áreas delimitadas pelo governo federal, onde recebem auxílio. A economia se baseia na produção de roças de subsistência, pomares, criação de galinhas e porcos. E as famílias vendem os seus artesanatos como cestos, balaios, arcos e flechas.

Na culinária têm o costume de consumir erva-mate fria ou quente e de preparar alimentos com mandioca, milho e pinhão, como o mingau, a pamonha e a paçoca.

Guarani
É um grupo do tronco linguístico Tupi-Guarani, que se dividem em três subgrupos: Mbyá, Nhandéva e Kaiová. Além do Brasil, ocupam territórios na Argentina, Uruguai e Paraguai. É um grupo que preserva sua identidade por meio da manutenção da língua e da cultura.

Antes da colonização europeia, os Guarani distribuíam-se desde o litoral estendendo-se às florestas subtropicais do planalto, até o rio Paraná a oeste. Viviam no mesmo local entre cinco e seis anos, até os recursos naturais acabarem. A aldeia era composta por cinco a seis casas comunitárias na qual viviam de 20 a 30 pessoas. As mulheres da aldeia se dedicavam a cuidar das crianças e ao preparo dos alimentos.

Kaingang
Pertencem à família linguística Jê e habitavam nos campos e florestas de Araucária angustifolia, onde podiam ter pinhão à sua disposição. Estabeleciam acampamentos utilizados nas expedições de caça, pesca e coleta, em que faziam armadilhas para pescar peixes, chamada de pari e que ainda é usada por eles.

São divididos em clânicas Kamé e Kairu, sendo que cada indivíduo tem o seu papel social. Assim como os Guarani, as mulheres são encarregadas de cuidar das crianças e fazer as refeições, além da confecção de cerâmica e do plantio de roças nas proximidades da aldeia. Os Kaingang ainda preservam o seu idioma, possuem nomes indígenas e conhecem seu grupo clânico.

Xetá
Grupo que pertence ao tronco linguístico Tupi-Guarani. Viviam somente da caça e coleta. Não têm uma terra só deles, já que foram vítimas do extermínio gerado pela expansão cafeeira.

Segundo a Fundação Nacional do Índio, a Terra Indígena Xetá está em um processo de demarcação pelo governo federal. O Museu Paranaense tem um acervo com filmes, fotografias e desenhos desse grupo indígena realizado pelo cineasta tcheco Vladimir Kozák.

Acervo
No acervo do museu há objetos dos Guarani, Kaingang, Xetá e Xokléng como esculturas em madeira e cera de abelha, artefatos de caça, utensílios para o armazenamento e preparo dos alimentos. Além dos adornos corporais como colares de sementes, brincos e cocares em plumária e os labiais que foram confeccionados em madeira, osso e resina chamados de tembetás.

Mês dos Povos Indígenas no Museu Paranaense
Os indígenas Fulni-ô, de Pernambuco, estão em Curitiba para divulgar sua cultura por meio das danças, ritual e venda de artesanato. Nos dias 24, 26 de abril e 3 de maio eles permanecem o dia todo no museu, das 9h às 17h, com apresentações na parte da manhã (10h) e da tarde (15h). Dia 29 de abril estarão no museu apenas na parte da manhã.

Serviço
Mês dos Povos Indígenas no Museu Paranaense
Apresentação do povo Fulni-ô
Exposição e venda de artesanatos do povo Fulni-ô
Dias: 24 (terça), 26 (quinta), 29 de abril (domingo) e 03 de maio (quinta).
Horários: terças e quintas das 9h às 17h; domingos das 10h às 12h.

Exposições Povos Indígenas do Paraná e do Brasil
Período expositivo | Longa duração
Horários: terça a sexta-feira, das 9h às 18h e aos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h.

Museu Paranaense
Rua Kellers, 289 - São Francisco – Curitiba – Paraná.
Terça a sexta-feira, das 9h às 18h.
Sábados, domingos e feriados das 10h às 16h.
Agendamentos (41) 3304-3305 ou (41) 3304-3309
Informações (41) 3304-3300 | www.museuparanaense.pr.gov.br
Entrada gratuita

Fonte: SEEC

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.