Notícias

23/11/2018

Museu Paranaense abre exposição sobre Clubes sociais Negros

O Museu Paranaense (MP) abre na sexta-feira (23/11), a exposição “Clubes Sociais Negros do Paraná”. A mostra faz parte da programação do Mês da Consciência Negra, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura (SEEC), no mês de novembro.
Durante a abertura será encaminhado pelo coletivo dos seis clubes sociais negros do Paraná o pedido de Registro dos Clubes como Patrimônio Cultural Imaterial do Paraná à Coordenadoria de Patrimônio da SEEC.

“O Mês da Consciência Negra acontece pelo quarto ano consecutivo e realizamos ações pontuais e efetivas de valorização à cidadania em combate a todo e qualquer tipo de discriminação. A exposição, assim como o pedido de registro como patrimônio imaterial do Paraná, é importante para mantermos essa memória de luta. Os clubes sociais negros além de um local de encontros sociais, se discutia a condição do negro na sociedade da época, além de promover a inclusão social”, afirma João Luiz Fiani. 

Saul Dorval, presidente do Conselho da Igualdade Racial, afirma que a SEEC tem sido um importante parceiro no reconhecimento da importância do papel do negro na sociedade. “Somos 28% da população do Paraná e quando o poder público reconhece e apóia, como tem feito, só nos ajuda a legitimar o papel histórico do negro na nossa sociedade”, comenta Dorval.

Os Clubes Sociais Negros eram espaços de convivência fundados entre a pós-abolição e os anos 50, destinados ao convívio social e cultural das populações negras. O objetivo era o de agregar a população negra, e incentivar a inserção social e cultural desta população. Era também espaço de discussão, onde a comunidade afro buscava discutir situação do negro na sociedade da época.
Seis clubes, ainda em funcionamento, foram mapeados com tais características no estado: Sociedade Operária e Beneficente Treze de Maio, em Curitiba; Clube Literário Treze de Maio, em Ponto Grossa; Clube Rio Branco, em Guarapuava; Clube Estrela da Manhã, em Tibagi; Clube Campo Gerais, em Tibagi; e Arol - Associação Operária e Recreativa de Londrina.

Os salões supriam a necessidade do convívio social, já que nos tradicionais clubes, a presença dos negros não era bem aceita. Tiveram também papel fundamental na construção social do negro e permanecem na memória dos frequentadores como lugares que incentivaram a construção da cidadania.Hoje, funcionam como espaços de convivência social, com a promoção de festas e eventos.

Mês da Consciência Negra

No mesmo dia, o MP abre, no Jardim de Inverno, a exposição “Ero Ere: Artistas Negras”. "Ero Ere" é um coletivo de artistas negras que trabalha com diferentes técnicas, a valorização da arte e do vínculo ideológico, afetivo e ancestral, que ela traz. As obras apresentadas nessa exposição são compostas por fotografias, pinturas em acrílico sobre tela, cerâmica, assemblage e instalação têxtil. Ao todo estarão expostas no MP, sete obras, uma de cada artista. O Ero Ere é composto pelas artistas Claudia Lara, Elis Brasil, Fernanda Castro, Kênia Cristina, Lana Furtado, Lourdes Duarte e Walkyria Novais.

Confira a programação completa do Mês da Consciência Negra. Clique AQUI.


Serviço:

Exposição Clubes Sociais Negros do Paraná
Data da abertura: 23 de novembro de 2018, às 17h
Período de exposição: até 31 de março de 2019
Horário de visitação: terça a sexta-feira das 9h às 17h30. Sábado, domingo e feriado das 10h às 16h.
Entrada gratuita

Exposição “Ero Ere: Artistas Negras”
Data da abertura: 23 de novembro de 2018, às 17h
Período de exposição: até 31 de março de 2019
Horário de visitação: terça a sexta-feira das 9h às 117h30. Sábado, domingo e feriado das 10h às 16h.
Entrada gratuita


Museu Paranaense
Rua Kellers, 289, São Francisco. Curitiba-PR
Terça a sexta-feira, das 9h às 17h30.
Sábado, domingo e feriado das 10h às 16h.
(41) 3304-3300 | www.museuparanaense.pr.gov.br

Fonte: SEEC

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.