Artista cria instalação com objetos e memórias acumuladas por empregadas domésticas; abertura será neste sábado, no MUPA
12/12/2022 - 14:29

Neste sábado (17), o Museu Paranaense inaugura o último projeto selecionado este ano no II Edital de Ocupação do Espaço Vitrine. Agora é a vez da instalação Coleção à brasileira: uma visita à colecionadora-diarista, idealizada por Everton Leite. O Espaço Vitrine recebeu no total seis propostas artísticas selecionadas em dois editais. A inauguração é gratuita e aberta ao público, marcada para começar às 11h.

Em Coleção à brasileira: uma visita à colecionadora-diarista, Everton Leite parte de sua investigação e questionamento sobre arquivos familiares, em especial sobre as vivências de sua mãe durante o período em que ela trabalhou como diarista, Neste tempo, ela acumulou diversos presentes de patroas, como vasos, pratos, eletrodomésticos antigos e souvenirs. A instalação é o resultado do processo investigativo do artista.

O público visitante encontrará, em mostra, um significativo conjunto de diferentes utensílios e objetos domésticos colecionados pela mãe do artista, complementado por entrevistas, objetos e memórias de outras quatro empregadas domésticas, formando assim uma grande coleção de uma classe trabalhadora que é constantemente invisibilizada no Brasil.

Em texto produzido para a exposição, a curadora Juliana Crispe pontua que “ao trazer esta exposição para o espaço do museu, o artista observa como as coleções museais, em sua maioria, são formadas por objetos de famílias tidas como importantes dentro da história de cidades, estados e países”. 

Para Crispe, a proposta artística de Everton Leite na instalação apresentada no MUPA cria um contraponto às coleções museológicas. Isso porque “não se volta a objetos raros, de destaque ou de alto valor monetário, mas foca no olhar da ‘colecionadora-diarista’, personagem criada para representar as histórias dessas mulheres, para os objetos tidos como comuns, descartáveis e de fácil reposição”. 

SOBRE O ARTISTA - Everton Leite é mestrando em Artes Visuais pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e graduado em Artes Visuais pela Universidade Estadual do Paraná (Unespar). Seus trabalhos partem do que é cotidiano ao artista, principalmente a relação com sua casa, as memórias de infância e seus familiares. 

Integrou diversas mostras coletivas, como: A Zero (2021), parte do programa de residência artística organizada pela Editora Medusa; Circuito de Arte Contemporânea de Curitiba (2019), no qual foi premiado com o primeiro lugar; Três pedras n'água para um círculo perfeito (2019), parte do projeto Permanente de desenvolvimento e experimentação em Artes Visuais, do SESC PR. Em 2021, realizou as suas primeiras exposições individuais “Começa casa adentro” e “O que nos contam as paredes”, com curadoria de Renan Archer. Além das mostras, mantém o selo editorial “Biblioteca de Casa”, onde publica fanzines, livros de artista e outros materiais que fazem parte de sua pesquisa.

SOBRE O EDITAL - O Edital de Ocupação do Espaço Vitrine é um programa que tem como objetivo trazer propostas contemporâneas para exposições nas áreas de Artes Visuais, Design e Arquitetura, em diálogo com as disciplinas científicas da instituição: Antropologia, Arqueologia e História. Já passaram pelo Espaço Vitrine artistas e coletivos como Pedro Casteleira, CLUBE, Érica Storer, Manoela Cavalinho, Milla Jung e Everton Leite por meio do Edital de Ocupação, que já teve duas edições: em 2020 e 2022. 

 

SERVIÇO - Abertura da exposição “Coleção à brasileira: uma visita à colecionadora-diarista”, do artista Everton Leite

Projeto selecionado no II Edital de Ocupação do Espaço Vitrine

Curadoria de Juliana Crispe

Sábado, 17 de dezembro, às 11h. Haverá na data uma cortesia de café expresso, água saborizada e biscoitinhos fornecida pelo museu em parceria com Terra Café para o público. Entrada gratuita.

 

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias